Fonacate vai ao STJ cobrar liberação de dados que subsidiam reforma administrativa

Fonacate vai ao STJ cobrar liberação de dados que subsidiam reforma administrativa

A disponibilização dessas informações é essencial ao debate público acerca das alterações propostas, que podem impactar milhares ou até milhões de brasileiros. Caso a divulgação se dê apenas após a finalização do processo legislativo premissas equivocadas não poderão ser afastadas”, explicou Larissa Benevides.

Com informações de: Ascom/FONACATE

O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate), em articulação com a Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público, coordenada pelo deputado federal professor Israel Batista (PV/DF), impetrou, nesta sexta-feira (2), mandado de segurança perante o Superior Tribunal de Justiça (STJ) contra o ministro da Economia, Paulo Guedes, e a Coordenadora-Geral de Arquitetura de Carreiras do mesmo ministério, pela restrição de acesso imposta aos documentos que embasaram a Reforma Administrativa (PEC 32/2020).

De acordo com a assessora jurídica do Fonacate, Larissa Benevides, a restrição deu-se de forma indevida, pois o procedimento adequado não foi devidamente observado, principalmente porque inexiste base legal para a atribuição de sigilo.

“Não é preciso que o Legislativo encerre a deliberação acerca da PEC 32/2020, como sustenta o Ministério da Economia, para que o Executivo dê a devida publicidade aos dados e aos estudos que embasaram o projeto já apresentado ao Congresso Nacional. A disponibilização dessas informações é essencial ao debate público acerca das alterações propostas, que podem impactar milhares ou até milhões de brasileiros. Caso a divulgação se dê apenas após a finalização do processo legislativo premissas equivocadas não poderão ser afastadas”, explicou Benevides.

O presidente do Fórum e no Unacon Sindical, Rudinei Marques, em vídeo publicado nas redes sociais afirmou que “o governo tem a obrigação, conforme determina a Lei de Acesso à Informação (LAI), de apresentar esses dados”, por isso o Fonacate foi ao Judiciário “cobrar que o Ministério da Economia apresente as informações para todos os interessados”.

Assista abaixo ao vídeo. E clique para conferir o teor do mandado de segurança.

 

 

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on skype
Share on telegram

Notícias Relacionadas

Diante do processo inflacionário e do congelamento salarial dos trabalhadores do setor público e privado, o governo nitidamente privilegia o setor bancário, ampliando as possibilidades de endividamento.
Diante do processo inflacionário e do congelamento salarial dos trabalhadores do setor público e privado, o governo nitidamente privilegia o setor bancário, ampliando as possibilidades de endividamento.
Diante do processo inflacionário e do congelamento salarial dos trabalhadores do setor público e privado, o governo nitidamente privilegia o setor bancário, ampliando as possibilidades de endividamento.
Desde o começo do ano, os servidores aguardam uma posição do governo sobre a política salarial para o funcionalismo. Rudinei Marques, presidente do Fonacate, lembrou que o ato marca o último recado dos servidores ao governo federal.
Desde o começo do ano, os servidores aguardam uma posição do governo sobre a política salarial para o funcionalismo. Rudinei Marques, presidente do Fonacate, lembrou que o ato marca o último recado dos servidores ao governo federal.
Desde o começo do ano, os servidores aguardam uma posição do governo sobre a política salarial para o funcionalismo. Rudinei Marques, presidente do Fonacate, lembrou que o ato marca o último recado dos servidores ao governo federal.
“Isso não gera nenhum gasto para o governo. Só precisamos da boa vontade de vocês para resolver esse problema”, afirmou Rudinei Marques.
“Isso não gera nenhum gasto para o governo. Só precisamos da boa vontade de vocês para resolver esse problema”, afirmou Rudinei Marques.
“Isso não gera nenhum gasto para o governo. Só precisamos da boa vontade de vocês para resolver esse problema”, afirmou Rudinei Marques.
“Os atos de hoje mostram a unidade do serviço público federal em busca de recomposição das perdas inflacionárias, que já passam dos 28%. A mobilização será intensificada nas próximas semanas”, garantiu o presidente do Fonacate, Rudinei Marques.
“Os atos de hoje mostram a unidade do serviço público federal em busca de recomposição das perdas inflacionárias, que já passam dos 28%. A mobilização será intensificada nas próximas semanas”, garantiu o presidente do Fonacate, Rudinei Marques.
“Os atos de hoje mostram a unidade do serviço público federal em busca de recomposição das perdas inflacionárias, que já passam dos 28%. A mobilização será intensificada nas próximas semanas”, garantiu o presidente do Fonacate, Rudinei Marques.
“Falta apenas vontade política para a recomposição das perdas inflacionárias, pois recursos existem. Para tanto, é necessário aumentar a pressão do funcionalismo”, afirmou o economista Braúlio Cerqueira.
“Falta apenas vontade política para a recomposição das perdas inflacionárias, pois recursos existem. Para tanto, é necessário aumentar a pressão do funcionalismo”, afirmou o economista Braúlio Cerqueira.
“Falta apenas vontade política para a recomposição das perdas inflacionárias, pois recursos existem. Para tanto, é necessário aumentar a pressão do funcionalismo”, afirmou o economista Braúlio Cerqueira.
O evento começa às 10h e é organizado pelo Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe) e pelo Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate). 
O evento começa às 10h e é organizado pelo Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe) e pelo Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate). 
O evento começa às 10h e é organizado pelo Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe) e pelo Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate). 
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support