Fonacate ingressa como amicus curiae em ADI contra Decreto que vincula servidores ao INSS

Fonacate ingressa como amicus curiae em ADI contra Decreto que vincula servidores ao INSS

A Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 6.767 foi ajuizada pelo PT.

Com informações de: Ascom/FONACATE

O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) ingressou nesta quinta-feira (2 de dezembro) como amicus curiae na ADI 6767, proposta contra o Decreto 10.620/2021 – que vincula os servidores da administração indireta ao INSS e os da administração direta ao órgão central do Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal (Sipec) para concessão e a manutenção das aposentadorias e pensões.

A relatoria da ADI no Supremo Tribunal Federal (STF) está a cargo da ministra Rosa Weber. De acordo com o documento elaborado pela assessoria jurídica do Fórum, a Fischgold e Benevides Advogados, “seja pela vedação prevista no § 20 do art. 40 da Constituição, seja pelo desvio de finalidade das competências do INSS ou pela falta de ato de delegação motivado em legítimo fator de discrímen, o Decreto n. 10.620/21, por violar dispositivos da Carta Magna, é inconstitucional. Por essa razão, o Fonacate pugna para que esta Suprema Corte declare a norma impugnada como inconstitucional para a sua respectiva retirada do ordenamento jurídico pátrio”.

Larissa Benevides, advogada do Fonacate, complementa: “o Decreto n. 10.620/21 criou uma diferenciação inconstitucional entre servidores da administração direta e servidores de autarquias e fundações. São todos vinculados ao mesmo regime previdenciário, que deve ser gerido pela mesma entidade gestora. Inexiste razão para atribuir ao INSS a gestão de aposentadorias e pensões de parcela do funcionalismo público”.

Confira abaixo a amicus curiae do Fonacate.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on skype
Share on telegram

Notícias Relacionadas

“É essencial que tenhamos segurança acerca da natureza do benefício especial, até para que aqueles que migraram possam ter uma referência acerca do que terão direito no futuro. Esse é um tema de suma importância nesse momento”, complementou o secretário-geral do Fonacate e presidente da Anafe, Marcelino Rodrigues.
“É essencial que tenhamos segurança acerca da natureza do benefício especial, até para que aqueles que migraram possam ter uma referência acerca do que terão direito no futuro. Esse é um tema de suma importância nesse momento”, complementou o secretário-geral do Fonacate e presidente da Anafe, Marcelino Rodrigues.
“É essencial que tenhamos segurança acerca da natureza do benefício especial, até para que aqueles que migraram possam ter uma referência acerca do que terão direito no futuro. Esse é um tema de suma importância nesse momento”, complementou o secretário-geral do Fonacate e presidente da Anafe, Marcelino Rodrigues.
Fonacate acompanha julgamento relativo à reforma da Previdência.
Fonacate acompanha julgamento relativo à reforma da Previdência.
Fonacate acompanha julgamento relativo à reforma da Previdência.
“Nossa expectativa é que as alíquotas progressivas sejam consideradas inconstitucionais. Houve redução significativa no salário dos servidores”, afirmou Rudinei Marques.
“Nossa expectativa é que as alíquotas progressivas sejam consideradas inconstitucionais. Houve redução significativa no salário dos servidores”, afirmou Rudinei Marques.
“Nossa expectativa é que as alíquotas progressivas sejam consideradas inconstitucionais. Houve redução significativa no salário dos servidores”, afirmou Rudinei Marques.
A reunião contou com a presença dos conselheiros representantes dos participantes do RPPS da União, indicados pelo Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate): Décio Bruno Lopes, que também é presidente da Anfip, e Celso Malhani, diretor da Fenafisco.
A reunião contou com a presença dos conselheiros representantes dos participantes do RPPS da União, indicados pelo Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate): Décio Bruno Lopes, que também é presidente da Anfip, e Celso Malhani, diretor da Fenafisco.
A reunião contou com a presença dos conselheiros representantes dos participantes do RPPS da União, indicados pelo Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate): Décio Bruno Lopes, que também é presidente da Anfip, e Celso Malhani, diretor da Fenafisco.
Barroso esclareceu ainda que a decisão se refere apenas à questão da progressividade das alíquotas de contribuição previdenciária dos servidores públicos.
Barroso esclareceu ainda que a decisão se refere apenas à questão da progressividade das alíquotas de contribuição previdenciária dos servidores públicos.
Barroso esclareceu ainda que a decisão se refere apenas à questão da progressividade das alíquotas de contribuição previdenciária dos servidores públicos.
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support