Justiça» Fonacate e Frente Servir Brasil cobram novamente dados que fundamentam reforma administrativa

Justiça» Fonacate e Frente Servir Brasil cobram novamente dados que fundamentam reforma administrativa

“Não se pode admitir que o governo tenha encaminhado uma proposta de emenda constitucional sem dados e informações técnicas necessárias para justificar mudanças tão profundas no serviço público. Portanto, recorremos a mais uma ação judicial para exigir que o governo apresente os dados que alicerçaram a proposta encaminhada ao Congresso”, ressaltou o presidente do Fonacate, Rudinei Marques.

Com informações de:
Ascom/FONACATE

Publicado em: 02/05/2021 20:24

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on skype
Share on telegram

Publicado em: 02/05/2021 20:24

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on skype
Share on telegram

O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) e a Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público (Servir Brasil) voltaram a acionar a Justiça para exigir a apresentação dos dados que embasaram a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32/2020, que trata da reforma administrativa.

No Tribunal Regional Federal da 1a Região, o Fonacate interpôs um agravo contra a decisão (ID n. 494921422) que indeferiu pedido de liminar no Mandado de Segurança Coletivo n. 1056567-53.2020.4.01.3400, em trâmite na 22a Vara Federal, impetrado para compelir a Coordenadora-Geral de Arquitetura de Carreiras do Ministério da Economia e o Secretário de Gestão e Desempenho de Pessoal a divulgarem todos os documentos que fundamentaram a PEC 32/2020.

Vale lembrar que, em outubro passado, o Fonacate impetrou mandado de segurança coletivo para exigir a apresentação dos documentos após o Ministério da Economia negar pedido de acesso a eles via Lei de Acesso a Informação (LAI).

“O Fonacate recorreu desse entendimento demonstrando que os processos administrativos apresentados são superficiais e não mostram as discordâncias sobre as diversas redações da Reforma que antecederam a PEC apresentada. A criação de um site com esse material foi “pro forma”. Além disso, recentemente o TCU (Tribunal de Contas da União) demonstrou o equívoco dos números da Reforma da Previdência, que igualmente não teve seus dados devidamente disponibilizados. Tudo indica que o mesmo acontece agora na Reforma Administrativa”, explicou a assessora jurídica do Fórum, Larissa Benevides.

“Não se pode admitir que o governo tenha encaminhado uma proposta de emenda constitucional sem dados e informações técnicas necessárias para justificar mudanças tão profundas no serviço público. Portanto, recorremos a mais uma ação judicial para exigir que o governo apresente os dados que alicerçaram a proposta encaminhada ao Congresso”, ressaltou o presidente do Fonacate, Rudinei Marques.

Já no Supremo Tribunal Federal (STF), os parlamentares da Frente Servir Brasil ingressaram uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) contra a Medida Provisória 1.042/2021, que permite que o presidente da República possa criar e extinguir cargos e funções comissionadas no serviço público por decreto. Segundo eles, a MP antecipa a reforma administrativa.

As duas ações foram ajuizadas pelo escritório Fischgold Benevides Advogados, que faz a assessoria jurídica do Fórum e da Frente. “Espera-se uma posição firme do STF contra a tentativa do presidente da República de se dar um cheque em branco para criar e extinguir cargos na administração pública de acordo com seus interesses. Essa medida é uma afronta aos princípios da moralidade e da impessoalidade, que devem ser marcas da Administração Publica”, enfatizou a advogada Larissa.

Confira abaixo a ação do Fonacate.

Categoria

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
Scroll Up