ARTIGO» Funpresp: uma análise do impacto das mudanças nas aposentadorias e pensões

ARTIGO» Funpresp: uma análise do impacto das mudanças nas aposentadorias e pensões

"Agora, em meio à pandemia do Coronavírus, a Fundação propõe múltiplas reduções nas pensões por morte e nas aposentadorias por invalidez, sem apresentar aos participantes quaisquer estudos atuariais que justifiquem tais medidas."

Com informações de: Ascom/Fonacate

O auditor federal da Controladoria-Geral da União (CGU), Marcelo Perrucci, explica nesse artigo as principais mudanças aprovadas pelo Conselho Deliberativo da Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal (Funpresp), em maio, que, segundo ele, causam insegurança jurídica, quebram a transparência e afetam a confiança dos participantes.

Perrucci, que também é ex-presidente do Conselho Fiscal da Funpresp e possui mestrado em Políticas Públicas e Desenvolvimento pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, afirma que dentre as principais alterações estão o fim da aposentadoria especial para mulheres, professores e policiais e a redução dos valores de aposentadoria por invalidez e da pensão por morte.

“Agora, em meio à pandemia do Coronavírus, a Fundação propõe múltiplas reduções nas pensões por morte e nas aposentadorias por invalidez, sem apresentar aos participantes quaisquer estudos atuariais que justifiquem tais medidas. Trata-se de um momento conturbado, no qual diversos servidores estão atuando na linha de frente contra o Coronavírus, como é o caso de profissionais da saúde. Até o momento, mais de 500 servidores federais já foram infectados com Covid-19, sem contabilizar os casos suspeitos e os servidores que estão cuidando de familiares infectados”, alerta.

Confira abaixo o documento na íntegra.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on skype
Share on telegram

Notícias Relacionadas

“É urgente o restabelecimento das mesas de negociação. A legislação poderia ajudar. O PLS 397/2015 regulamentou importantes aspectos da negociação coletiva no serviço público, apesar de não estipular data-base nem prazos para conclusão das etapas negociais.”
“É urgente o restabelecimento das mesas de negociação. A legislação poderia ajudar. O PLS 397/2015 regulamentou importantes aspectos da negociação coletiva no serviço público, apesar de não estipular data-base nem prazos para conclusão das etapas negociais.”
“É urgente o restabelecimento das mesas de negociação. A legislação poderia ajudar. O PLS 397/2015 regulamentou importantes aspectos da negociação coletiva no serviço público, apesar de não estipular data-base nem prazos para conclusão das etapas negociais.”
Desde o envio da proposta ao Congresso Nacional, em setembro passado, o governo alardeia que a PEC não afeta os servidores atuais. Isso é falso. A reforma administrativa os impacta profundamente em, pelo menos, sete aspectos, incluindo o fim do regime jurídico único e a criação de um “regime de extinção”.
Desde o envio da proposta ao Congresso Nacional, em setembro passado, o governo alardeia que a PEC não afeta os servidores atuais. Isso é falso. A reforma administrativa os impacta profundamente em, pelo menos, sete aspectos, incluindo o fim do regime jurídico único e a criação de um “regime de extinção”.
Desde o envio da proposta ao Congresso Nacional, em setembro passado, o governo alardeia que a PEC não afeta os servidores atuais. Isso é falso. A reforma administrativa os impacta profundamente em, pelo menos, sete aspectos, incluindo o fim do regime jurídico único e a criação de um “regime de extinção”.
“Bastou pouco para perdermos o rumo. Dia a dia são atacados os fundamentos do Estado democrático de direito. São tão frequentes as agressões às instituições republicanas, à moralidade pública, ao meio ambiente e aos princípios da dignidade da pessoa humana insculpidos na Constituição Federal – e à própria Constituição – que hoje damos graças tão somente por pisarmos em terra firme, vale dizer, por estarmos vivos e podermos respirar.”
“Bastou pouco para perdermos o rumo. Dia a dia são atacados os fundamentos do Estado democrático de direito. São tão frequentes as agressões às instituições republicanas, à moralidade pública, ao meio ambiente e aos princípios da dignidade da pessoa humana insculpidos na Constituição Federal – e à própria Constituição – que hoje damos graças tão somente por pisarmos em terra firme, vale dizer, por estarmos vivos e podermos respirar.”
“Bastou pouco para perdermos o rumo. Dia a dia são atacados os fundamentos do Estado democrático de direito. São tão frequentes as agressões às instituições republicanas, à moralidade pública, ao meio ambiente e aos princípios da dignidade da pessoa humana insculpidos na Constituição Federal – e à própria Constituição – que hoje damos graças tão somente por pisarmos em terra firme, vale dizer, por estarmos vivos e podermos respirar.”
“Quase 90% dos profissionais empregados pelo setor público brasileiro estão em estados e municípios, encarregados do atendimento que mais impacta o dia a dia do brasileiro. A maior parte trabalha nas prefeituras e, na média, recebe salários 2% menores do que a média do setor privado.”
“Quase 90% dos profissionais empregados pelo setor público brasileiro estão em estados e municípios, encarregados do atendimento que mais impacta o dia a dia do brasileiro. A maior parte trabalha nas prefeituras e, na média, recebe salários 2% menores do que a média do setor privado.”
“Quase 90% dos profissionais empregados pelo setor público brasileiro estão em estados e municípios, encarregados do atendimento que mais impacta o dia a dia do brasileiro. A maior parte trabalha nas prefeituras e, na média, recebe salários 2% menores do que a média do setor privado.”
A caneta presidencial permitiu prosperar um “jabuti” que transfere o voto de qualidade dos representantes da Fazenda.
A caneta presidencial permitiu prosperar um “jabuti” que transfere o voto de qualidade dos representantes da Fazenda.
A caneta presidencial permitiu prosperar um “jabuti” que transfere o voto de qualidade dos representantes da Fazenda.
Em épocas de grave crise como a que enfrentamos agora, nada é mais indispensável do que a união. O Presidente Jair Bolsonaro, no entanto, está seguindo outro caminho.
Em épocas de grave crise como a que enfrentamos agora, nada é mais indispensável do que a união. O Presidente Jair Bolsonaro, no entanto, está seguindo outro caminho.
Em épocas de grave crise como a que enfrentamos agora, nada é mais indispensável do que a união. O Presidente Jair Bolsonaro, no entanto, está seguindo outro caminho.
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support