Manifesto em Defesa da Vida DF: live debate ações erráticas do governo diante de pandemia

Manifesto em Defesa da Vida DF: live debate ações erráticas do governo diante de pandemia

Com informações de:
Brasília Capital c/alterações de Ascom/FONACATE

Publicado em: 14/07/2020 19:51

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on skype
Share on telegram

Publicado em: 14/07/2020 19:51

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on skype
Share on telegram

Uma live com duas horas de duração, transmitida pelo YouTube na noite de segunda-feira (13), reuniu ex-governadores do Distrito Federal, parlamentares, acadêmicos e especialistas para debater a atual situação da capital do País diante da pandemia da Covid-19.

​O Manifesto em Defesa da Vida reuniu numa sala de bate-papo os ex-governadores Rodrigo Rollemberg (PSB) e Cristovam Buarque (Cidadania), a deputada federal Erika Kokay (PT), os distritais Arlete Sampaio e Chico Vigilante, do PT, Fábio Félix (Psol) e Leandro Grass (Rede), além de Toninho do Psol e o advogado Marivaldo Pereira, que concorreu ao Senado em 2018 pelo Psol.

​O encontro foi mediado por Leandro Couto e Rubens Bias e teve como um dos organizadores o jornalista Hélio Doyle. Algumas lideranças convidadas, que assinaram o manifesto mas não puderam participar da live, ajudaram na coleta de assinaturas para o manifesto. Entre elas, o senador José Antônio Reguffe (Podemos).

​Os participantes convergiram em dois pontos: críticas ao governo federal pelo encaminhamento das políticas de combate à pandemia e reconhecimento de que o governador Ibaneis Rocha teve um bom início, ao ser um dos primeiros a adotar o isolamento social, mas teria se precipitado na retomada das atividades econômicas.

“Bolsonaro politizou e negou a pandemia, sabotou as medidas para enfrentá-la e é o maior responsável pela dimensão que a covid-19 tem no Brasil. Ibaneis errou ao endossar a tese criminosa do governo federal de contaminação do rebanho e, para agradar Bolsonaro e a empresários, romper o isolamento, desconhecendo o que dizem cientistas, epidemiologistas e sanitaristas”, disse Doyle.

Para o grupo, a reabertura prematura de várias atividades atrasou a retomada segura. “Se a quarentena fosse mantida durante 60 dias a retomada seria mais rápida”, concluíram.

Confira abaixo a live na íntegra:

Categoria

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
Scroll Up