Guedes deverá ter mais cautela ao se pronunciar sobre servidores

Guedes deverá ter mais cautela ao se pronunciar sobre servidores

Para Rudinei Marques, "em vez dessas agressões verbais ao funcionalismo, Paulo Guedes deveria se preocupar mais com a economia nacional: a inflação voltou com força, o preço da gasolina disparou, há 33 milhões de brasileiros passando fome e, nessa conjuntura desastrosa, a economia segue estagnada".

Com informações de: Ascom/FONACATE

Em decisão publicada pela Comissão de Ética Pública (CEP) da Presidência da República, o conselho recomenda ao ministro da Economia, Paulo Guedes, “maior cautela no linguajar utilizado em reuniões e/ou pronunciamentos públicos, ainda que de cunho restrito, em especial quando os adjetivos utilizados tiverem aptidão para gerar dúvida sobre a intenção do interlocutor ou quando o assunto tratado puder causar exposições desnecessárias, sem prejuízo de possível reapreciação do tema, caso surjam outros fatos específicos e elementos suficientes para tanto”.

O relatório foi uma resposta às denúncias do Fonacate e entidades afiliadas, nos anos de 2020 e 2021, no primeiro caso, o ministro afirmou que os servidores são autoritários e “militantes de governos anteriores”, e em outra ocasião acusou servidores públicos de serem “parasitas” do Estado. Na segunda denúncia, protocolada em 6 de outubro de 2021, foi por violações ao Código de Conduta da Alta Administração Federal e ao Código de Ética Profissional do Servidor Público Civil, pelo conflito de interesses pela manutenção de empresa offshore milionária em “paraíso fiscal”.

“Embora a CEP não tenha entendido pela ocorrência de ilícito administrativo, a recomendação de cautela no uso de linguajar pode ser considerada uma conquista dos servidores, visto que repetidas vezes o Ministro Paulo Guedes se utiliza de expressões inadequadas ao seu cargo”, ressaltou a assessora jurídica do Fonacate, Larissa Benevides.

Para o presidente do Fonacate e da Fenaud, Rudinei Marques, “em vez dessas agressões verbais ao funcionalismo, Paulo Guedes deveria se preocupar mais com a economia nacional: a inflação voltou com força, o preço da gasolina disparou, há 33 milhões de brasileiros passando fome e, nessa conjuntura desastrosa, a economia segue estagnada”.

Saiba mais sobre as denúncias do FONACATE:

Fonacate faz nova denúncia contra Paulo Guedes à Comissão de Ética Pública/PR, no caso da offshore em “paraíso fiscal”

Servidores denunciam novamente ministro Paulo Guedes na Comissão de Ética Pública

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on skype
Share on telegram

Notícias Relacionadas

O emprego desse “instrumento de poder” pode ser observado, conforme ponderou o presidente Rudinei Marques, nas recentes medidas que visam o desmonte dos serviços públicos, a captura do Estado e a fragilização dos direitos dos trabalhadores.
O emprego desse “instrumento de poder” pode ser observado, conforme ponderou o presidente Rudinei Marques, nas recentes medidas que visam o desmonte dos serviços públicos, a captura do Estado e a fragilização dos direitos dos trabalhadores.
O emprego desse “instrumento de poder” pode ser observado, conforme ponderou o presidente Rudinei Marques, nas recentes medidas que visam o desmonte dos serviços públicos, a captura do Estado e a fragilização dos direitos dos trabalhadores.
Dentre os pontos mais importantes da Carta de Princípios entregue a Mercadante para compromisso, o presidente do Fonacate enfatizou “a estabilidade no serviço público como instrumento de proteção dos servidores e do Estado brasileiro, de garantia da independência das instituições, da impessoalidade e da primazia do interesse público contra todas as formas de assédio e de ingerência política em questões de Estado, como temos visto em profusão nos últimos anos”.
Dentre os pontos mais importantes da Carta de Princípios entregue a Mercadante para compromisso, o presidente do Fonacate enfatizou “a estabilidade no serviço público como instrumento de proteção dos servidores e do Estado brasileiro, de garantia da independência das instituições, da impessoalidade e da primazia do interesse público contra todas as formas de assédio e de ingerência política em questões de Estado, como temos visto em profusão nos últimos anos”.
Dentre os pontos mais importantes da Carta de Princípios entregue a Mercadante para compromisso, o presidente do Fonacate enfatizou “a estabilidade no serviço público como instrumento de proteção dos servidores e do Estado brasileiro, de garantia da independência das instituições, da impessoalidade e da primazia do interesse público contra todas as formas de assédio e de ingerência política em questões de Estado, como temos visto em profusão nos últimos anos”.
Para Rudinei Marques: “é preciso recuperar o tempo perdido, olhar pra frente e retomar um caminho de desenvolvimento sustentável e inclusivo, o que somente será possível com a retomada das capacidades estatais, com o fortalecimento e a valorização do serviço público brasileiro. A Carta de Princípios do Fonacate aponta nessa direção”.
Para Rudinei Marques: “é preciso recuperar o tempo perdido, olhar pra frente e retomar um caminho de desenvolvimento sustentável e inclusivo, o que somente será possível com a retomada das capacidades estatais, com o fortalecimento e a valorização do serviço público brasileiro. A Carta de Princípios do Fonacate aponta nessa direção”.
Para Rudinei Marques: “é preciso recuperar o tempo perdido, olhar pra frente e retomar um caminho de desenvolvimento sustentável e inclusivo, o que somente será possível com a retomada das capacidades estatais, com o fortalecimento e a valorização do serviço público brasileiro. A Carta de Princípios do Fonacate aponta nessa direção”.
Uma das grandes preocupações do Fórum é a suposta retirada da natureza pública das entidades fechadas de previdência complementar (Funpresp’s) e a possibilidade de pagamento extrateto a seus dirigentes.
Uma das grandes preocupações do Fórum é a suposta retirada da natureza pública das entidades fechadas de previdência complementar (Funpresp’s) e a possibilidade de pagamento extrateto a seus dirigentes.
Uma das grandes preocupações do Fórum é a suposta retirada da natureza pública das entidades fechadas de previdência complementar (Funpresp’s) e a possibilidade de pagamento extrateto a seus dirigentes.
O Fonacate e afiliadas continuam acompanhando o debate sobre o tema até que todas as falhas que ainda existem no texto sejam sanadas.
O Fonacate e afiliadas continuam acompanhando o debate sobre o tema até que todas as falhas que ainda existem no texto sejam sanadas.
O Fonacate e afiliadas continuam acompanhando o debate sobre o tema até que todas as falhas que ainda existem no texto sejam sanadas.
O ato público será realizado no auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados, dia 31 de maio, a partir das 14h, e vai contar com a presença de servidores de todo o país, deputados e senadores.
O ato público será realizado no auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados, dia 31 de maio, a partir das 14h, e vai contar com a presença de servidores de todo o país, deputados e senadores.
O ato público será realizado no auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados, dia 31 de maio, a partir das 14h, e vai contar com a presença de servidores de todo o país, deputados e senadores.
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support