NOTA PÚBLICA: Entidades se manifestam contra ataques à auditoria do trabalho

NOTA PÚBLICA: Entidades se manifestam contra ataques à auditoria do trabalho

Com informações de:
Ascom/FONACATE

Publicado em: 10/06/2019 00:00

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on skype
Share on telegram

Publicado em: 10/06/2019 00:00

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on skype
Share on telegram

Entidades afiliadas ao Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgam nota pública em apoio aos Auditores-Fiscais do Trabalho. Servidores da carreira, neste Fórum representados pelo Sinait (Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho), foram alvos de ameaças ocorridas nos estados do Ceará e do Pará.

Quatro Auditores-Fiscais do Trabalho foram ameaçados por empresários e fazendeiros depois de fiscalizarem suas atividades econômicas. No Ceará, um empresário incluído na Lista Suja do Trabalho Escravo ameaçou de morte o auditor que havia feito a fiscalização. No Pará, dois Auditores-Fiscais do Trabalho foram abordados por agentes públicos logo após fiscalizarem uma propriedade rural, em decorrência de acusações feitas pelo fazendeiro de serem invasores de terra. Até que a polícia conferisse os documentos e o fato fosse esclarecido, os Auditores-Fiscais viveram momentos de tensão e de risco.

Confira abaixo o texto da nota e a íntegra no arquivo em PDF anexo.

NOTA PÚBLICA

O Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado – FONACATE, que representa mais de 200 mil servidores públicos que desempenham atribuições imprescindíveis ao Estado brasileiro, ligadas às áreas de segurança pública, fiscalização e regulação do mercado, advocacia pública, fiscalização agrária, ministério público, diplomacia, arrecadação e tributação, proteção ao trabalhador e à saúde pública, inteligência de Estado, formulação e implementação de políticas públicas, comércio exterior, prevenção e combate à corrupção, fiscalização agropecuária, segurança jurídica e desenvolvimento econômico-social vem a público manifestar preocupação diante das ameaças a Auditores-Fiscais do Trabalho ocorridas nos estados do Ceará e do Pará e cobrar providências imediatas do Governo Federal.

Quatro Auditores-Fiscais do Trabalho foram ameaçados por empresários e fazendeiros depois de fiscalizarem suas atividades econômicas. No Ceará, um empresário incluído na Lista Suja do Trabalho Escravo ameaçou de morte o auditor que havia feito a fiscalização.

No Pará, dois Auditores-Fiscais do Trabalho foram abordados por agentes públicos logo após fiscalizarem uma propriedade rural, em decorrência de acusações feitas pelo fazendeiro de serem invasores de terra. Até que a polícia conferisse os documentos e o fato fosse esclarecido, os Auditores-Fiscais viveram momentos de tensão e de risco.

Ainda no Pará, outro Auditor-Fiscal do Trabalho recebeu ameaças por meio do aplicativo WhatsApp, depois de atuar em uma operação do Grupo Especial Fiscalização Móvel.

Diante dos fatos relados, o Fonacate cobra rigorosa apuração, seja para estancar essa onda inaceitável de intimidação aos agentes públicos em tela, seja para assegurar o estrito cumprimento das leis trabalhistas, pois quando se ataca um servidor público no exercido de suas funções, afronta-se o próprio Estado brasileiro.

Brasília, 10 de junho de 2019.

RUDINEI MARQUES

Presidente do Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado

Presidente do UNACON SINDICAL – Sindicato Nacional dos Auditores e Técnicos Federais de Finanças e Controle


MARCELINO RODRIGUES

Secretário-Geral do Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado

Presidente da ANAFE – Associação Nacional dos Advogados Públicos Federais

Downloads

Categoria

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
Scroll Up