Nota Pública» Entidades repudiam ataques ao sistema eleitoral brasileiro

Nota Pública» Entidades repudiam ataques ao sistema eleitoral brasileiro

"O FONACATE lamenta que, a poucos meses das eleições, sejam ainda escutadas críticas à segurança das urnas eletrônicas, mesmo depois de recente auditoria do TCU, com base em referencial internacional, ter concluído que o sistema eleitoral brasileiro é bastante seguro."

Com informações de: Ascom/FONACATE

O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate), por meio de suas 36 entidades afiliadas, divulga nota pública repudiando os discursos que buscam desqualificar a lisura do processo eleitoral brasileiro e as urnas eletrônicas.

No documento, entregue à imprensa e publicado na manhã desta quarta-feira, 20 de julho, as entidades afirmam que: “O FONACATE lamenta que, a poucos meses das eleições, sejam ainda escutadas críticas à segurança das urnas eletrônicas, mesmo depois de recente auditoria do TCU, com base em referencial internacional, ter concluído que o sistema eleitoral brasileiro é bastante seguro. Assim, condenamos com veemência essas falas infundadas, que não citam quaisquer estudos abalizados ou dados concretos”. E ressaltam ainda o compromisso com o Estado Democrático de Direito, manifestando a confiança nas urnas eletrônicas e no sistema eleitoral.

Confira abaixo a íntegra da Nota Pública e no final da matéria em PDF.

NOTA PÚBLICA

O Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado – FONACATE, composto por 36 entidades associativas e sindicais, que representam mais de 200 mil servidores públicos que desempenham atribuições imprescindíveis ao Estado brasileiro, repudia discursos que buscam desqualificar a lisura do processo eleitoral brasileiro e as urnas eletrônicas, equipamentos que há mais de 25 anos garantem a higidez, a transparência, a segurança e a modernidade tecnológica do processo eleitoral.

O FONACATE lamenta que, a poucos meses das eleições, sejam ainda escutadas críticas à segurança das urnas eletrônicas, mesmo depois de recente auditoria do TCU, com base em referencial internacional, ter concluído que o sistema eleitoral brasileiro é bastante seguro. Assim, condenamos com veemência essas falas infundadas, que não citam quaisquer estudos abalizados ou dados concretos.

O Fórum reafirma seu compromisso irrevogável com o Estado Democrático de Direito, manifesta sua confiança nas urnas eletrônicas e no sistema eleitoral e reconhece a competência e a qualificação da Justiça Eleitoral. A democracia é um valor superior a qualquer ideologia ou partido, pois constitui a própria base da pluralidade política. Dessa forma, conclamamos as instituições e a sociedade civil organizada a defenderem a democracia e o sistema eleitoral brasileiro.

Brasília, 20 de julho de 2022

 

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on skype
Share on telegram

Notícias Relacionadas

“É nítido o conflito de interesses. Principalmente porque essa possibilidade significa transferir o ônus das políticas públicas para pequenas empresas e pessoas físicas.”
“É nítido o conflito de interesses. Principalmente porque essa possibilidade significa transferir o ônus das políticas públicas para pequenas empresas e pessoas físicas.”
“É nítido o conflito de interesses. Principalmente porque essa possibilidade significa transferir o ônus das políticas públicas para pequenas empresas e pessoas físicas.”
O projeto ameaça terceirizar as atividades de fiscalização agropecuária. No PL, empresas de agronegócio podem contratar fiscais privados para fazer a análise sanitária de seus frigoríficos e estabelecimentos.
O projeto ameaça terceirizar as atividades de fiscalização agropecuária. No PL, empresas de agronegócio podem contratar fiscais privados para fazer a análise sanitária de seus frigoríficos e estabelecimentos.
O projeto ameaça terceirizar as atividades de fiscalização agropecuária. No PL, empresas de agronegócio podem contratar fiscais privados para fazer a análise sanitária de seus frigoríficos e estabelecimentos.
“Além da perda real em decorrência do processo inflacionário, houve redução nominal da renda do funcionalismo federal civil, em função da majoração das alíquotas de contribuição previdenciária”.
“Além da perda real em decorrência do processo inflacionário, houve redução nominal da renda do funcionalismo federal civil, em função da majoração das alíquotas de contribuição previdenciária”.
“Além da perda real em decorrência do processo inflacionário, houve redução nominal da renda do funcionalismo federal civil, em função da majoração das alíquotas de contribuição previdenciária”.
Segundo o Assediômetro, plataforma mantida por entidades de classe do funcionalismo para registrar casos de assédio em âmbito federal, já são 1.248 casos desde 2020, e órgãos como IBAMA e FUNAI se destacam em número de ocorrências.
Segundo o Assediômetro, plataforma mantida por entidades de classe do funcionalismo para registrar casos de assédio em âmbito federal, já são 1.248 casos desde 2020, e órgãos como IBAMA e FUNAI se destacam em número de ocorrências.
Segundo o Assediômetro, plataforma mantida por entidades de classe do funcionalismo para registrar casos de assédio em âmbito federal, já são 1.248 casos desde 2020, e órgãos como IBAMA e FUNAI se destacam em número de ocorrências.
“A ANVISA cumpre sua missão institucional ao registrar e aprovar o produto. Não cabe a ANVISA decidir sobre a aplicação ou consumo dos produtos registrados e aprovados, sendo injusta e inaceitável a exposição dos nomes dos técnicos que trabalham no fiel cumprimento de suas atribuições.”
“A ANVISA cumpre sua missão institucional ao registrar e aprovar o produto. Não cabe a ANVISA decidir sobre a aplicação ou consumo dos produtos registrados e aprovados, sendo injusta e inaceitável a exposição dos nomes dos técnicos que trabalham no fiel cumprimento de suas atribuições.”
“A ANVISA cumpre sua missão institucional ao registrar e aprovar o produto. Não cabe a ANVISA decidir sobre a aplicação ou consumo dos produtos registrados e aprovados, sendo injusta e inaceitável a exposição dos nomes dos técnicos que trabalham no fiel cumprimento de suas atribuições.”
As entidades signatárias da Carta também manifestam apoio à Emenda nº 76 – Plenário, que excepcionaliza do Teto de Gastos, no exercício de 2022, as despesas com RPV’s e Precatórios, honrando os precatórios previstos para o próximo ano.
As entidades signatárias da Carta também manifestam apoio à Emenda nº 76 – Plenário, que excepcionaliza do Teto de Gastos, no exercício de 2022, as despesas com RPV’s e Precatórios, honrando os precatórios previstos para o próximo ano.
As entidades signatárias da Carta também manifestam apoio à Emenda nº 76 – Plenário, que excepcionaliza do Teto de Gastos, no exercício de 2022, as despesas com RPV’s e Precatórios, honrando os precatórios previstos para o próximo ano.
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support