Entidades se manifestam sobre PEC 10/2020

Entidades se manifestam sobre PEC 10/2020

Para além das ressalvas deste Fórum ao rito açodado de tramitação da PEC em tela, as propostas referidas ignoravam a garantia constitucional de irredutibilidade salarial, estendendo essa possiblidade a todos os entes federados.

Com informações de:
Ascom/FONACATE

Publicado em: 03/04/2020 00:00

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on skype
Share on telegram

Publicado em: 03/04/2020 00:00

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on skype
Share on telegram

As entidades afiliadas ao Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate), que estão acompanhando todo o trabalho do Congresso Nacional durante as votações de projetos para resolver a crise provocada pela pandemia da Covid-19, enviaram hoje nota de apoio ao deputado Hugo Motta (REP/PB), relator da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 10/2020, do “Orçamento de Guerra”, pela rejeição de emendas que fragilizavam o serviço público.

Confira abaixo a Nota na íntegra:

NOTA DE APOIO

O Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado – FONACATE, que representa mais de 200 mil servidores públicos que desempenham atribuições imprescindíveis ao Estado brasileiro, ligadas às áreas de segurança pública, fiscalização e regulação do mercado, advocacia pública, defensoria pública, fiscalização agrária, ministério público, diplomacia, legislativo, arrecadação e tributação, proteção ao trabalhador e à saúde pública, inteligência de Estado, formulação e implementação de políticas públicas, comércio exterior, prevenção e combate à corrupção, fiscalização agropecuária, segurança jurídica e desenvolvimento econômico-social vem a público manifestar apoio ao Relatório apresentado à PEC 10/2020 (PEC do “Orçamento de Guerra”), no que pertine à rejeição das emendas apresentadas pela bancada do NOVO que, em síntese, infringiam a Constituição Federal e fragilizavam o serviço público, pois atingiam duramente a remuneração e os subsídios do funcionalismo.

Para além das ressalvas deste Fórum ao rito açodado de tramitação da PEC em tela, as propostas referidas ignoravam a garantia constitucional de irredutibilidade salarial, estendendo essa possiblidade a todos os entes federados. Ademais, não traziam estudos técnicos que comprovassem ser a medida adequada ao enfrentamento da profunda crise econômica provocada pelo distanciamento social necessário à mitigação do contágio da população pelo coronavírus. Ao contrário do que propõe o NOVO, estudos recentes da UFMG/Cedeplar indicam que eventual redução salarial do funcionalismo tem impactos negativos na economia, justamente por desaquecer ainda mais a demanda por bens e serviços, já profundamente afetada pela crise.

Por fim, manifestações recentes do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ), e pelo próprio Ministro da Economia, Paulo Guedes, indicam que assunto de tão severas implicações deve ser reservado para uma discussão madura e abalizada entre Congresso Nacional, equipe econômica e demais interessados, motivo pelo qual este Fórum saúda Vossa Excelência pelo bom senso em retirar esse tema de pauta.

Brasília, 3 de abril de 2020.

RUDINEI MARQUES

Presidente do Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado

Presidente do UNACON SINDICAL – Sindicato Nacional dos Auditores e Técnicos Federais de Finanças e Controle

MARCELINO RODRIGUES

Secretário-Geral do Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado

Presidente da ANAFE – Associação Nacional dos Advogados Públicos Federais

Categoria

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
Scroll Up