Presidente do Fonacate critica reforma administrativa em evento do Consad

Presidente do Fonacate critica reforma administrativa em evento do Consad

“Diante dessas múltiplas crises que o país atravessa, as soluções passam necessariamente pela valorização e fortalecimento do serviço público brasileiro. O que nem de longe seria atingido com a PEC 32”, ressaltou Rudinei Marques.

Com informações de: Ascom/FONACATE

O presidente do Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate), na ocasião também representando o Movimento Pessoas a Frente, Rudinei Marques, participou na semana passada do XI Congresso do Conselho Nacional de Secretários de Estado da Administração (Consad), considerado um dos maiores eventos nacionais voltados para a gestão pública no país.

Com o tema “Inovação e Modernização Administrativa para os Estados”, a edição foi realizada no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília/DF, e Rudinei Marques aproveitou a ocasião para criticar a PEC 32/2020, que trata da reforma administrativa.

“Diante dessas múltiplas crises que o país atravessa, as soluções passam necessariamente pela valorização e fortalecimento do serviço público brasileiro. O que nem de longe seria atingido com a PEC 32”, ressaltou Marques.

Para o presidente do Fonacate, quando o governo e representantes da sociedade civil organizada entenderem que uma reforma administrativa precisa ser honesta, baseada em diagnósticos técnicos e evidências cientificas, será possível construir um diálogo e todos trabalharem juntos na construção de uma reforma democrática e republicana.

Saiba mais sobre o Movimento Pessoas a Frente, acesse: https://movimentopessoasafrente.org.br/

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on skype
Share on telegram

Notícias Relacionadas

“A preocupação com a gestão pública é relativamente recente, em nosso país. Enquanto não a entendermos como elemento primordial para a construção de um Estado necessário, eficiente, moderno e desenvolvido, infelizmente não conseguiremos avançar”, ressaltou o ministro.
“A preocupação com a gestão pública é relativamente recente, em nosso país. Enquanto não a entendermos como elemento primordial para a construção de um Estado necessário, eficiente, moderno e desenvolvido, infelizmente não conseguiremos avançar”, ressaltou o ministro.
“A preocupação com a gestão pública é relativamente recente, em nosso país. Enquanto não a entendermos como elemento primordial para a construção de um Estado necessário, eficiente, moderno e desenvolvido, infelizmente não conseguiremos avançar”, ressaltou o ministro.
“Em um país de tamanhas desigualdades cabe ao Estado, mais do que atenuar as vicissitudes sociais, promover a igualdade. E é por isso que estamos aqui, para que o Estado seja cada vez mais efetivo nessa direção”, afirmou Rudinei Marques.
“Em um país de tamanhas desigualdades cabe ao Estado, mais do que atenuar as vicissitudes sociais, promover a igualdade. E é por isso que estamos aqui, para que o Estado seja cada vez mais efetivo nessa direção”, afirmou Rudinei Marques.
“Em um país de tamanhas desigualdades cabe ao Estado, mais do que atenuar as vicissitudes sociais, promover a igualdade. E é por isso que estamos aqui, para que o Estado seja cada vez mais efetivo nessa direção”, afirmou Rudinei Marques.
Especialistas defendem que a construção de um serviço público moderno e de uma burocracia eficiente passa pelo aperfeiçoamento orçamentário, e depende, também, do enfrentamento a questões sociais e ambientais.
Especialistas defendem que a construção de um serviço público moderno e de uma burocracia eficiente passa pelo aperfeiçoamento orçamentário, e depende, também, do enfrentamento a questões sociais e ambientais.
Especialistas defendem que a construção de um serviço público moderno e de uma burocracia eficiente passa pelo aperfeiçoamento orçamentário, e depende, também, do enfrentamento a questões sociais e ambientais.
“O livro, portanto, é uma crítica ao modelo econômico que está em implementação no Brasil e, ao mesmo tempo, uma sugestão de caminho para o desenvolvimento nacional, a organização do Estado e o manejo da política econômica”, afirma José Celso.
“O livro, portanto, é uma crítica ao modelo econômico que está em implementação no Brasil e, ao mesmo tempo, uma sugestão de caminho para o desenvolvimento nacional, a organização do Estado e o manejo da política econômica”, afirma José Celso.
“O livro, portanto, é uma crítica ao modelo econômico que está em implementação no Brasil e, ao mesmo tempo, uma sugestão de caminho para o desenvolvimento nacional, a organização do Estado e o manejo da política econômica”, afirma José Celso.
“É preciso sempre lembrar que o serviço público tem a responsabilidade de atenuar as vicissitudes sociais, de promover o desenvolvimento, a educação, a saúde, a segurança e a cultura. Todos nós temos, então, o compromisso de tornar o Estado brasileiro mais forte e qualificado.”
“É preciso sempre lembrar que o serviço público tem a responsabilidade de atenuar as vicissitudes sociais, de promover o desenvolvimento, a educação, a saúde, a segurança e a cultura. Todos nós temos, então, o compromisso de tornar o Estado brasileiro mais forte e qualificado.”
“É preciso sempre lembrar que o serviço público tem a responsabilidade de atenuar as vicissitudes sociais, de promover o desenvolvimento, a educação, a saúde, a segurança e a cultura. Todos nós temos, então, o compromisso de tornar o Estado brasileiro mais forte e qualificado.”
“Rumo ao Estado Necessário” é a temática do evento, que contará com a participação de diversos especialistas.
“Rumo ao Estado Necessário” é a temática do evento, que contará com a participação de diversos especialistas.
“Rumo ao Estado Necessário” é a temática do evento, que contará com a participação de diversos especialistas.
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
Scroll Up