Assembleia – Fonacate vai realizar webinar para tratar de migração à Funpresp

Assembleia – Fonacate vai realizar webinar para tratar de migração à Funpresp

O webinar será realizado pelo Fonacate no próximo dia 24 de agosto, às 14h30. A transmissão será pelo canal do Fonacate no Youtube e pelas redes sociais das entidades afiliadas.

Com informações de: Ascom/FONACATE

 

Aderir ou não à Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal (Funpresp)? O tema ainda gera muitas dúvidas nos servidores. Por isso, durante Assembleia Geral do Fonacate, realizada nesta terça-feira, dia 9 de agosto, as entidades afiliadas conversaram com o diretor-presidente da Funpresp, Cristiano Heckert e com a gerente geral Sandiscleia Beni Gutierrez.

Em virtude da Medida Provisória (MP) 1.119/2022, que reabriu a janela de migração para os servidores federais até 30 de novembro de 2022, muitos ainda não sabem as vantagens e desvantagens de aderir ao regime de previdência complementar.

Durante a reunião, Cristiano disse que a Fundação está bem estruturada e oferece mais vantagens aos servidores, como melhores condições do consignado e outras. Ele ainda informou que o servidor que tem dúvidas pode entrar em contato com a Funpresp e agendar uma conversa ou mesmo fazer a simulação e cálculos do benefício por meio do site https://www.funpresp.com.br/migracao-do-rpps-para-o-rpc/janela2022/.

O presidente do Fonacate e da Fenaud, Rudinei Marques, ressaltou que servidores das diversas carreiras ainda têm dúvidas sobre optar ou não por essa migração e convidou Cristiano Heckert para participar de um webinar, que será realizado pelo Fonacate no próximo dia 24 de agosto, às 14h30, exclusivamente para debater esse tema. A transmissão será pelo canal do Fonacate no Youtube e pelas redes sociais das entidades afiliadas.

CONCURSOS

O Projeto de Projeto de Lei (PL) 252/2003, que estabelece novas regras para realização de concursos públicos, aprovado pela Câmara dos Deputados no começo de agosto, foi outo item da pauta. Para as entidades, o texto aprovado é bastante genérico, não consolida entendimentos jurisprudenciais e deixa aos entes federados a responsabilidade pela legislação sobre pontos polêmicos, como prazos procedimentais para impugnação de edital e apresentação de recursos.

De acordo com o vice-presidente do Fonacate e presidente da Anesp, Pedro Pontual, um dos pontos que merece atenção é a possibilidade de candidatos, ainda em processo de seleção, exercerem funções do cargo público de forma precária, para posterior nomeação. No entendimento majoritário, o Projeto peca justamente por deixar de fazer aquilo a que se propõe, ou seja, parametrizar a realização de concursos em todo o país, mas também por não avançar na promoção da diversidade no setor público, trazendo apenas referências genéricas.

A matéria será debatida agora no Senado Federal. Os principais pontos do texto aprovado serão formalizados em nota do Fonacate, que será enviada aos senadores, alertando que o projeto está muito aquém do necessário.

ELEIÇÕES 2022 – O Fonacate vai realizar debate no dia 5 de setembro com os candidatos que tenham propostas de aprimoramento do serviço público brasileiro e subscrevam a Carta de Princípios do Fonacate (faça o download do documento no final da matéria ).

Os interessados em participar dos debates devem fazer contato com suas entidades de classe, que repassarão os nomes para o Fórum organizar as entrevistas.

“Assim como estamos entregando aos presidenciáveis a Carta de Princípios, queremos incentivar que candidatos ao parlamento incorporem o documento às suas propostas”, explicou Rudinei Marques.

 

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on skype
Share on telegram

Notícias Relacionadas

Sobre o processo eleitoral, o Fonacate planeja o Encontro com os Presidenciáveis para a entrega da Carta de Princípios.
Sobre o processo eleitoral, o Fonacate planeja o Encontro com os Presidenciáveis para a entrega da Carta de Princípios.
Sobre o processo eleitoral, o Fonacate planeja o Encontro com os Presidenciáveis para a entrega da Carta de Princípios.
“A preocupação com a gestão pública é relativamente recente, em nosso país. Enquanto não a entendermos como elemento primordial para a construção de um Estado necessário, eficiente, moderno e desenvolvido, infelizmente não conseguiremos avançar”, ressaltou o ministro.
“A preocupação com a gestão pública é relativamente recente, em nosso país. Enquanto não a entendermos como elemento primordial para a construção de um Estado necessário, eficiente, moderno e desenvolvido, infelizmente não conseguiremos avançar”, ressaltou o ministro.
“A preocupação com a gestão pública é relativamente recente, em nosso país. Enquanto não a entendermos como elemento primordial para a construção de um Estado necessário, eficiente, moderno e desenvolvido, infelizmente não conseguiremos avançar”, ressaltou o ministro.
“Em um país de tamanhas desigualdades cabe ao Estado, mais do que atenuar as vicissitudes sociais, promover a igualdade. E é por isso que estamos aqui, para que o Estado seja cada vez mais efetivo nessa direção”, afirmou Rudinei Marques.
“Em um país de tamanhas desigualdades cabe ao Estado, mais do que atenuar as vicissitudes sociais, promover a igualdade. E é por isso que estamos aqui, para que o Estado seja cada vez mais efetivo nessa direção”, afirmou Rudinei Marques.
“Em um país de tamanhas desigualdades cabe ao Estado, mais do que atenuar as vicissitudes sociais, promover a igualdade. E é por isso que estamos aqui, para que o Estado seja cada vez mais efetivo nessa direção”, afirmou Rudinei Marques.
Especialistas defendem que a construção de um serviço público moderno e de uma burocracia eficiente passa pelo aperfeiçoamento orçamentário, e depende, também, do enfrentamento a questões sociais e ambientais.
Especialistas defendem que a construção de um serviço público moderno e de uma burocracia eficiente passa pelo aperfeiçoamento orçamentário, e depende, também, do enfrentamento a questões sociais e ambientais.
Especialistas defendem que a construção de um serviço público moderno e de uma burocracia eficiente passa pelo aperfeiçoamento orçamentário, e depende, também, do enfrentamento a questões sociais e ambientais.
“O livro, portanto, é uma crítica ao modelo econômico que está em implementação no Brasil e, ao mesmo tempo, uma sugestão de caminho para o desenvolvimento nacional, a organização do Estado e o manejo da política econômica”, afirma José Celso.
“O livro, portanto, é uma crítica ao modelo econômico que está em implementação no Brasil e, ao mesmo tempo, uma sugestão de caminho para o desenvolvimento nacional, a organização do Estado e o manejo da política econômica”, afirma José Celso.
“O livro, portanto, é uma crítica ao modelo econômico que está em implementação no Brasil e, ao mesmo tempo, uma sugestão de caminho para o desenvolvimento nacional, a organização do Estado e o manejo da política econômica”, afirma José Celso.
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support