• Finanças e Controle
  • Fiscalização
  • Gestão Pública
  • Segurança Pública
  • Comércio Exterior
  • Diplomacia
  • Advocacia Pública
  • Defensoria Pública
  • Regulação
  • Política Monetária
  • Planejamento
  • Orçamento Federal
  • Magistratura
  • Ministério Público
Notícias
Planejamento apresenta ao Planalto proposta de adiar reajuste de servidores em 2019 Com informações: Jornal Extra Publicado em 09/08/2018 às 18:38
O ministro do Planejamento, Esteves Colnago, apresentou ao presidente Michel Temer, nesta quarta-feira (8), uma proposta para adiar o reajuste salarial dos servidores civis de 2019 de 2020. Segundo cálculos da equipe econômica, a medida representa uma economia de R$ 6,9 bilhões para os cofres públicos no ano que vem. Ela é considerada essencial para o fechamento das contas de 2019.
 
No encontro com Temer, o ministro argumentou que o adiamento do reajuste dá ao governo fôlego para atender a demandas de ministérios como o da educação, que já vem protestando contra possíveis cortes no orçamento da pasta no ano que vem.
 
Segundo interlocutores do Palácio do Planalto, foi proposto que a educação receba, no ano que vem, o equivalente ao que conseguir economizar com o adiamento do reajuste de seus respectivos servidores. Já o restante dos recursos será distribuído para as demais áreas sociais e investimentos. O detalhamento dos valores será feito na proposta de Lei Orçamentária que será encaminhada ao Congresso até o dia 31 agosto.
 
De acordo com auxiliares do presidente, a reunião não foi conclusiva e Temer ainda vai avaliar a proposta. O Planejamento chegou a considerar propor o adiamento do reajuste dos militares, o que elevaria a economia para R$ 11 bilhões. Mas a avaliação foi de que isso diminuiria as chances de aprovação da proposta. A ideia do Planejamento impacta a correção prevista para janeiro para a maioria dos servidores e para julho no caso do MEC.
 
Mesmo restringindo a medida, o governo sabe que ela enfrenta forte resistência. No ano passado, também foi proposto o adiamento do reajuste dos servidores de 2018 para 2019. No entanto, as carreiras reagiram e o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski suspendeu a medida provisória (MP), que acabou perdendo a validade antes de ser votada pelo Congresso.
Todos os direitos reservados © FONACATE 2013 layout por grupoflamba.com & desenvolvido por MGNIERS Política de Privacidade Termos de Uso